1. São dados da Organização Mundial de Saúde de 2021, a dor de coluna afeta 80% da população mundial e é a dor que leva mais pessoas ao médico. 

A percentagem revela um desconforto à escala global que muitas vezes chega a ser incapacitante. Mas porque é que existe tanta gente a sofrer de dor de coluna? E o que é que podemos fazer para melhorar?

2. A postura incorreta é apontada como a causa principal deste problema.

A partir do momento que não nos sentamos corretamente para trabalhar, ver televisão, estar ao computador, conduzir e até dormir, estamos a pôr em causa a nossa postura, e a dor de coluna vai surgir. Mas também a forma como nos movimentamos pode afetar a coluna, o modo como levantamos objetos, principalmente os pesados, ou de forma reiterada, afeta a condição de saúde e provoca doenças como escoliose, contratura, hérnia ou artrose.

3. O exercício físico pode melhorar a dor de costas.

Para evitar ou minimizar a dor, os especialistas recomendam a prática de exercício físico, com modalidades como natação, hidroginástica, musculação ou pilates. Saiba mais sobre a hidroterapia do hmc aqui.  Controlar o peso e corrigir as posturas corretas nas atividades do dia a dia, também podem melhorar o desconforto. 

4. Já ouviu falar de RPG?

A técnica de Reeducação Postural Global (RPG) tem como objectivo promover a simetria postural, diminuir a dor e a incapacidade através do alongamento dos músculos encurtados e aumento da contracção dos músculos antagonistas.

Para o processo de reeducação postural é essencial o trabalho ativo da parte do paciente, bem como uma atitude de compromisso. É necessário que o paciente concentre a sua atenção sobre as sensações corporais impostas na sessão e que assuma o compromisso de tentar manter essas alterações no seu dia-a-dia após a sessão. Saiba mais sobre a técnica aqui.

5. Sabia que pode melhorar a sua dor de coluna em poucas semanas?

Existem também programas especializados para a reeducação postural com resultados em pouco tempo para tratar a dor dorsal, lombar ou cervical. Estes programas devem conter uma avaliação personalizada, terapêuticas adaptadas a cada caso e um acompanhamento multidisciplinar.