Saltar à corda é um exercício bastante completo: permite acrescentar alguma criatividade aos treinos (por exemplo, um circuito que envolva uma estação de saltos à corda), trabalha a coordenação, pernas e braços, além de ser uma forma extremamente eficaz de fazer exercício cardiorrespiratório.

Quais são os benefícios que pode obter quando salta à corda?

  1. É o único equipamento necessário para fazer um treino cardiovascular em casa, sem necessitar de muito espaço. Além disso, é um dos desportos mais baratos.
  2. Fácil de transportar, sendo uma excelente opção quando viaja. Fazer um circuito que inclua exercícios com o peso do corpo e alguns minutos de salto à corda é o ideal para nos mantermos ativos durante uma viagem.
  3. Contribui para o aumento da intensidade dos treinos intervalados em circuito.
  4. Melhora a coordenação e aumenta a agilidade. Para os iniciantes, a corda parece ganhar vida própria e não se coordena com o corpo, mas, com a prática, a cadência e o ritmo regulares de saltar à corda melhoram a coordenação entre as mãos, pés e olhos. A prática deste exercício também desenvolve fibras musculares que ajudam a ter mais velocidade.
  5. Melhora a função cognitiva e elimina o stress. Esta atividade requer a aprendizagem de novos padrões motores, o que melhora a comunicação do sistema nervoso entre o nosso cérebro, pulsos e músculos da perna. Além disso, ajuda a libertar endorfinas que aliviam o stress.
  6. Previne lesões. Saltar à corda com regularidade fortalece os gémeos e melhora a elasticidade dos tendões que rodeiam estes músculos.
  7. Tonifica o corpo e combate a celulite. Este é um exercício praticado por muitos atletas que consideram um meio divertido de exercitar as áreas superior e inferior do corpo.
  8. Perda de peso. Ao saltar à corda ocorre a ativação do corpo e pode queimar muitas calorias. 15 minutos deste movimento equivale a 30 minutos de corrida e permite, em média, queimar 300 calorias. 

Como saltar à corda?

  • O corpo deve estar perfeitamente direito, a cabeça no alinhamento do pescoço e da coluna vertebral;
  • Os abdominais devem estar contraídos;
  • Os joelhos estão ligeiramente dobrados e os cotovelos dobrados a 45°;
  • Palmas das mãos viradas para cima;
  • Utilizar os punhos para fazer a corda girar e não os braços.

 

Se tiver problemas, deve consultar um médico antes de fazer quaisquer movimentos deste género.