A fruta tem características nutricionais que a tornam num alimento de excelência. A Roda da Alimentação Mediterrânica recomenda a ingestão de 3 a 5 porções por dia.

1 porção de fruta corresponde a uma peça de fruta de tamanho médio (160g).

Fruta: principais diferenças nutricionais

Fruta: principais diferenças nutricionais

Habitualmente, frutas como o dióspiro, a banana, o melão, a manga, a uva ou o figo são referidas como sendo muito doces, ou seja, mais “calóricas” e contendo maior teor de açúcar. No entanto, analisando o seu valor energético e o seu teor de açúcares, por 160 g de parte edível, verifica-se que não diferem muito umas das outras, mesmo quando comparadas com aquelas que se pensam menos calóricas, como a maçã ou o kiwi.  

Porquê apostar na fruta?

» Fruta não é só açúcar.

» É pouco calórica, por uma porção volumosa, e sacia.

» Consumir as frutas mais doces, seja como sobremesa ou nas refeições intercalares, pode ser uma estratégia para evitar o consumo de alimentos com elevado valor energético (como bolachas, bolos, chocolate, gelados).

Que cuidados devemos ter na escolha da fruta?

» Lavar corretamente quando é consumida com casca.

» Adicionar sumo de limão às frutas cortadas com maior facilidade de oxidação (exemplo: maçã, banana, etc.).

» Evitar ferver preparações com fruta (há perda de nutrientes na água quando exposta a temperaturas elevadas).

» Utilizar utensílios de cozinha diferentes para a fruta e restantes alimentos.

» A fruta madura deve ser conservada no frigorífico, de preferência nas zonas menos frias (prateleiras inferiores) e afastada da carne ou peixe.

» É também importante dar preferência à fruta da época e comprar aos produtores locais. Além de ser mais rica nutricionalmente, é mais económica e sustentável. 

 

Toda a fruta pode ser consumida, apenas deve ser adequada às necessidades de cada um. Procure um profissional para uma orientação eficaz e direcionada aos seus objetivos.