Osteoporose: alimentação, exercícios e hábitos saudáveis podem ajudar a evitar a doença no futuro

Dados do Serviço Nacional de Saúde (SNS) revelam que em Portugal cerca de meio milhão de pessoas têm osteoporose. Esta doença é resultado da perda progressiva da massa óssea, traduzindo-se em ossos finos, frágeis e ocos, podendo resultar na ocorrência de fraturas.

Grupos de risco

A osteoporose é uma condição mais frequente nas mulheres pós-menopáusicas e em idosos de ambos os sexos com mais de 65 anos.

Existem fatores de risco que favorecem o aparecimento da osteoporose. Alguns desses fatores estão relacionados com estilos de vida pouco saudáveis, tais como: sedentarismo, dieta pobre em cálcio, consumo excessivo de álcool, tabagismo, menopausa precoce, entre outros. Além destes, algumas doenças como o hipertireoidismo, doenças digestivas que dificultam a absorção do cálcio, doenças renais e tumores, como o cancro da medula óssea, também podem contribuir para o aparecimento desta patologia.

Sintomas da osteoporose

» Fraturas com pequenos traumatismos (especialmente das vértebras, anca e punho)

» Perda de altura superior a 2,5 cm

» Aparecimento de corcunda ou ombros descaídos para a frente

» Dor intensa nas costas

Consequências da osteoporose

» Dor Crónica;

» Perda de Autonomia;

» Deformidades ósseas;

» Aumento da mortalidade após ocorrência de fraturas vertebrais ou da anca;

A osteoporose tem cura?

Uma das formas de diagnosticar a doença é através da realização de um exame – a densitometria óssea. Este exame é indolor e torna possível identificar uma eventual fragilidade do osso.

Quando identificada precocemente, um tratamento à base de medicamentos para recuperar a massa óssea, analgésicos e suplementos de cálcio e vitamina D, bem como exercício físico adequado, poderá ser eficaz. Quando tratada mais tardiamente, o médico poderá sugerir outras opções terapêuticas para diminuir o risco das fraturas.

Como prevenir a osteoporose?

É importante adotar hábitos saudáveis ao longo de toda a vida.

  • Ter uma vida saudável, praticar atividade física e adotar uma alimentação variada e equilibrada são hábitos que não devem ser descurados;
  • O cálcio é o principal responsável pela formação dos ossos. Pode ser encontrado na alimentação, através da suplementação ou mediante a ingestão de alimentos fortificados com este mineral. Consumir alimentos como leite e derivados, vegetais de cor verde escuro, peixes, tofu e alimentos oleaginosos, como castanhas e nozes, ajuda na prevenção e tratamento;
  • Apanhar sol entre 15 a 20 minutos por dia, principalmente pela manhã, garante o aporte adequado de vitamina D que, por sua vez, favorece a absorção de cálcio;
  • Evitar o tabaco;
  • Nos idosos, devem ser concebidos programas de exercício adaptados individualmente que incidam na marcha, no fortalecimento muscular, na postura e no equilíbrio.

A importância do exercício físico na osteoporose

A prática regular de exercício físico deve ser incentivada não só nas pessoas que têm osteoporose, como também nas que evidenciem fatores de risco.

Entre os principais benefícios do exercício, destacam-se:

  • Manter a massa óssea e reduzir o risco de fratura
  • Diminuir a perda de massa muscular
  • Melhorar o equilíbrio e diminuir o risco de queda
  • Prevenir ou diminuir as deformações da coluna provocadas pela osteoporose
  • Reduzir as dores nas costas

 

A prática regular e orientada de atividade física é fundamental para prevenir e diminuir as consequências da doença.

O exercício adequado vai depender do grau da osteoporose, da existência de outros problemas de saúde e da condição física.

Exercícios que promovam o treino de força e reforço muscular, o treino do equilíbrio e mobilidade, são excelentes aliados no combate a esta patologia e consequente melhoria da qualidade de vida. Poderá encontrar este tipo de treino em modalidades como musculação, trx, pilates, yoga, treino funcional, entre outras.

Em estados mais avançados da doença, onde o risco de queda é mais elevado, existe maior dor ou historial de fraturas, é aconselhado que o início da atividade física seja realizado pelas atividades aquáticas. Pelas suas características, o meio aquático reduz o impacto, diminui o risco de queda, facilita a execução dos exercícios e reduz a sensação de dor durante a atividade. Modalidades como hidroterapia, aquapilates e hidroginástica são excelentes opções nestes casos.

 

Finalmente, importa salientar que para uma adequada prescrição de exercício é fundamental que efetue uma avaliação clínica prévia.

Clique no botão abaixo para saber como funciona a nossa avaliação clínica.

AGENDAR AVALIAÇÃO CLÍNICA

 

 

 

Referências Bibliográficas:

  • Associação Portuguesa contra a Osteoporose (APOROS): http://www.aporos.pt/
  • Todd JA, Robinson RJ. Osteoporosis and exercise. Postgraduate Medical Journal 2003; 79:320-323.